Educadores

  • 19

    JUL

    2015

    Por que participar da CONANE

    por Regina Potenza em 19/07/2015

     

    Mesmo antes de ter sido convidada como representante dos Românticos Conspiradores eu já tinha confirmado presença desde o dia em que o evento foi postado no facebook, e escrevi: “Esta eu não perco por nada!” - Queria ter participado da primeira  em Brasília, mas fiquei impossibilitada por doença.

    Sinto-me honrada com o convite, sei que será muito difícil representar os Românticos Conspiradores na mesa e estou me preparando. Esta reflexão faz parte.

    Participar da Conferência Nacional de Alternativas para uma Nova Educação (CONANE) parece, no meu entender, uma excelente decisão por vários motivos:

    1.     Estar junto a EDUCADORES que desejam rupturas e pensam e/ou já atuam em alternativas para os moldes arcaicos e tradicionais presentes na Educação Básica Nacional.

    2.     Ao estar junto presencialmente, ter a oportunidade de conhecer as iniciativas que já estão dando certo e os resultados deste novo olhar para a Educação, além de refletir sobre esses paradigmas e princípios de aprendizagem que os norteiam.

    3.     Ao refletir sobre essas iniciativas Alternativas para uma Nova Educação, conseguir me apropriar e então agir/criar alternativas no meu cotidiano como Educadora.

    Portanto, não se trata de pensar e agir para maquiar o que já estamos fazendo há séculos: introduzindo novas tecnologias sem fundamentação, ilustrando ou dando show numa aula expositiva, dando outra cara para testes de múltipla escolha com o pretexto de avaliar competências e habilidades altamente destrinchadas em procedimentos, ou propondo trabalhos em grupo superficiais, enfim, todas essas estratégias que só servem para desviar o foco.

    Desviar o foco de quê? Desviar o foco da verdadeira finalidade da Educação: a aprendizagem, o aprendiz.

    Quero acreditar que os Educadores que se reúnem em Conferência para buscar ou mostrar alternativas ao que está posto entendem a diferença entre Educação e Escola, e entre aprender e ensinar. Consequentemente olham para a Escola como uma parte da Educação e tiram o foco do ensino para colocar na aprendizagem. Tornaram-se estudiosos e pesquisadores de “Como aprendemos?”, “O que aprendemos?”, “Para quê aprendemos?” e pararam de fazer listas intermináveis de Conteúdos e Planos de aula com suas estratégias mirabolantes.

    Se o foco está na aprendizagem, passaram a se preocupar com o aprendiz, com os conhecimentos que já sabem, com as percepções que já construíram do mundo, com as expectativas pessoais em relação ao seu papel de estudante e até condenam crianças agrupadas em turmas por idade cronológica, reconsideraram tempos e espaços de aprendizagem e hoje não aceitam mais estar sozinhos na cátedra e sim participar de um projeto coletivo de aprendizagem para a vida humana feliz e sustentável.

    Se o foco é a Educação, acreditam que o futuro não se constrói no futuro, mas no presente. E sentem-se incluídos na aprendizagem e no convívio com as crianças e jovens, com seus familiares e com a comunidade onde se educam o tempo todo na prática da cidadania e, como parte desta, a preparação para o trabalho.

    Estes são motivos suficientes para ir ao encontro dessas pessoas pra lá de especiais. Participar deste momento de aprendizagem transformadora é muito prazeroso, assim como deve ser a Escola. Refletir sobre essas alternativas de ruptura é um desafio altamente desejado por Românticos Conspiradores e renovam esperanças propostas na sua “Carta de Princípios” e no “III Manifesto pela Educação: Mudar a escola, melhorar a Educação: Transformar um país.”

    http://romanticos-conspiradores.ning.com.

    http://manifestopelaeducacao.blogspot.com.br/

    ...

Regina Potenza

Regina Potenza

Regina Potenza é Professora especializada em Educação Infantil; Pedagoga pela FMU. Autora de “Cala boca...já morreu!” Atualmente na função de Professora da Rede Municipal de São Sebastião – SP onde já exerceu as funções de Direção e Coordenação Pedagógica. Reside em Boiçucanga e participa do “Grupo do Livro” que se reúne semanalmente para ler e conversar sobre a leitura de diversos títulos e diversos conteúdos e autorias. Integra também a Rede Românticos Conspiradores.