Redação

Combate ao Racismo

Pesquisar

Pesquisar

  • 16

    SET

    2015

    Entrevista com Milena Franceschinelli

    por Redação em 16/09/2015

    O Portal do Educador entrevistou a educadora Milena Franceschinelli. Milena acredita que a educação se faz a toda hora, desde o nosso nascimento até a nossa partida. Tem o habito de dizer que todos nós nascemos para aprender e ensinar. Profissionalmente começou como arte educadora, posteriormente trabalhou em exposições e mostras, realizando ações como de Graffiti e Artes Plásticas em diversas unidades da Fundação Casa da capital paulista.  Desenvolveu atividades e pesquisas na educação não formal, além de atividades educativas para crianças e jovens, realizou capacitações para educadores, gestores, conselheiros em diferentes áreas. Ainda acompanha e apoia estudos sobre transdisciplinaridade, educação integral,  participação social nas escolas e o movimento nacional das escolas democráticas, que acredita ser uma grande esperança para o Brasil. Atualmente tem pesquisado modelos alternativos de educação.

    Portal do Educador - Poderia explicar ao público leigo o que são os conselhos municipais?

    Os conselhos são espaços de participação social. Neles são criadas e implementadas as politicas públicas. Podemos comparar os conselhos como um “berçário”,  pois é um dos locais onde nascem  as  politicas públicas. As politicas públicas entendidas aqui como o conjunto de esforços realizados e pensados pelos entes federativos – municípios, estados e federação - voltados para alcançar o bem-estar da população. Nesses “berçários”, para nascer as politicas é necessário pessoas entusiasmadas por seus temas de ação. Esses temas são diversos como mulher, idoso, juventude, criança e adolescente, segurança alimentar e nutricional, saúde, educação, assistência social, escolar, alimentação escolar, economia solidaria, habitação, meio ambiente, segurança, etc. Os temas em grande parte dependem da articulação e pressão da sociedade civil exerce nos governos. 

    Os conselheiros são os responsáveis pelo nascimento das politicas publicas no âmbito dos conselhos. Para as  politicas publicas crescerem fortes precisam de um ambiente livre para debates de diferentes pontos de vista, a diversidade é uma das protagonistas da participação. Os setores e movimentos sociais em toda sua diversidade são representados através de seus conselheiros. Essas associações, institutos, entidades, tem a função de apresentar soluções e problemas enfrentados nas mais diferentes localidades e realidades de uma cidade, estado e/ou do País. Assim, para se ter uma ideia temos uma grande rede solidaria de voluntários (os conselheiros da sociedade civil em geral são voluntários). A diversidade é uma das protagonistas da participação social. É impossível ter legitimidade sem representação diversificada.

    A mensagem subliminar dos conselhos municipais é cuidamos juntos de nossas cidades. Conviver, coexistir é impositivo nesse planeta.  As decisões e direções devem são de responsabilidade de todos. Infelizmente muitos isentam-se de sua parte nessa partilha. O habito de reclamar sobre os encaminhamentos do mundo como um reles observador isento do resultado. Esbravejar dizendo “eu pago os meus impostos e voto”, como quem diz isso basta, já faço minha parte, são frequentes no Brasil. Temos vigente a cultura da reclamação mas avançamos rapidamente para a cultura da participação. A cultura da participação é muito poderosa, é o observador quântico, tem o poder da observação consciente, ele sabe saltar.

    Escrevi em parceria com o amigo Marcelo Pires Mendonça o artigo “Mas, o que é um conselho municipal”. Este texto nasceu da inquietação em dar mais visibilidade para a função e as ações dos conselhos municipais. Ajuda para quem deseja se aprofundar mais um pouquinho.

    http://www.ipea.gov.br/participacao/noticiasmidia/participacao-institucional/conselhos/1218-o-que-e-um-conspopulconselho-municipal

     

    Portal do Educador - Na sua visão, qual a importância dos conselhos municipais para o fortalecimento da democracia?

     

    Os conselhos municipais no Brasil são símbolos de uma coexistência mais responsável, de uma cidadania mais efetiva. Nos dias de hoje são usados de maneira a contradizer seus objetivos. Os conselhos e suas ações são ótimos indicadores de transparência, participação, eficiência de qualquer prefeitura. A profundidade da democracia pode ser também medida com auxilio do acompanhamento do desenvolvimento das politicas publicas relacionadas ao tema.

    Infelizmente tomei conhecimento da existência e do funcionamento dos conselhos com mais de vinte anos. Me senti roubada. Hoje não consigo conceber qualquer melhoria mundial que não passe pela participação e o controle social. Os conselhos apenas representam a possiblidade dada ao poder publico compartilharem a condução de seus governos em consonância com os anseios do povo. A reciproca também vale, o povo tem nos conselhos seu espaço e deve ocupa-los.

     

    Conclamo todos os educadores a fortificarem em especial os conselhos escolares e de classe. A LDB 9394/1996,  preconiza em seu artigo 14:

     

    Art. 14. Os sistemas de ensino definirão as normas da gestão democrática do ensino público na educação básica, de acordo com as suas peculiaridades e conforme os seguintes princípios:

     

    I - participação dos profissionais da educação na elaboração do projeto pedagógico da escola;

     

    II - participação das comunidades escolar e local em conselhos escolares ou equivalentes.

     

    Os conselhos escolares tem caráter deliberativo e consultivo, fiscalizam e mobilizam a comunidade escolar. Tem poder de decidir aspectos pedagógicos, administrativos e financeiros.  Desde o calendário letivo por exemplo, onde quais melhorias são prioritárias, quais programas e parceiros a escola vai aderir. Deve ainda acompanhar o andamento dos conselhos de classe. Os conselheiros escolares devem promover os valores democráticos, a cultura da participação e controle social, promover a relação cooperativa entre a comunidade e a escola na resolução dos problemas locais.

    O conselhos de classe é um órgão colegiado e delibera sobre assuntos didáticos-pedagógicos. É restrito a cada classe/turma. Seu objetivo é garantir um melhor processo de ensino aprendizagem na relação professor-aluno e os procedimentos adequados a cada dificuldade encontrada. Os conselhos municipais de educação somados aos conselhos escolares, aos conselhos de classe, as assembleias de pais e alunos, a associação de pais, mestres e funcionários, os grêmios estudantis, são a base para cultura da participação no Brasil. Quando estas ferramentas de acesso a cidadania forem parte do cotidiano de crianças e suas famílias o Brasil terá garantido de fato a democracia.

     

    Portal do Educador – Gostaria de deixar uma última mensagem para os leitores do Portal?

    Alegria imensa em saber que todos juntos temos condições despertar o poder proveniente de nossa coexistência fraterna. O presente da humanidade. A Internet, as redes conectadas por afinidades, ideais e causas tem um poder de comunicação sem precedentes na historia. Todos nos estamos apenas despertando esse poder existente em cada um de nos. O poder de conexão, de unidade, de onda. Onda, nuvem, viral. Enquanto o caldo da cultura livre cozinha a historia contemporânea, vivemos um momento de aguardar os sabores, cheiros e gostos que o porvir nos reserva. A linearidade do tempo analisadas por pensadores de crises nos empurram para um gran finale. O mundo sempre teima em permanecer saltando, mesmo contrariando os interesses de quem pensa ser seu dono. De maneira encantada como faz o mágico, enquanto o mundo salta quem tenta impedir assiste ao grande artista não com olhos de criança. Quem assiste a mágica é um arrogante pai bêbado, inconveniente. Grita para todos os presentes que não existe mágica. Sagaz, o mágico sem se deixar levar pela ocorrido, finaliza seu numero com a aparição do pombo branco. O pombo sua vez voa ate a cabeça do adulto inconveniente e solta como uma pintura um lindo borrão.  Complementando a magia, o nariz pintado apresenta ao publico o palhaço. Pulando como pipocas, ao som das gargalhadas o mundo aprontou mais uma das suas. A alegria, o bem, o bom, a verdade são mágicos.

     

    ...

    Redação