Redação

Combate ao Racismo

Pesquisar

Pesquisar

  • 13

    MAR

    2017

    Grande Paralisação Nacional da Educação anunciada para 15 de Março: Professores em greve

    por Redação em 13/03/2017

    Após realização do 33º Congresso Nacional, em janeiro deste ano, a Confederação Nacional dos Trabalhares em Educação (CNTE) decidiu aprovar uma greve geral a partir do dia 15 de março, com adesão de diversos estados do país como Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Paraíba e Distrito Federal.

    As principais reivindicações que deflagraram a paralisação são a exigência de cumprimento integral da Lei do Piso Nacional do Magistério; a Reforma da Previdência (PEC 287/2016) e a Reforma do Ensino Médio recentemente aprovada pelo governo.

    A CNTE considerou “inevitável” a realização de uma greve nacional em razão da situação do golpe jurídico-parlamentar e midiático que o país enfrenta, bem como da afronta ao Estado Democrático de Direito, as políticas de terceirização e privatização, o congelamento dos investimentos sociais por 20 anos e a reforma da previdência.

    Em São Paulo o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (APEOESP) marcou uma Assembleia Estadual no dia 15 de março, as 14h, na Praça da República.

    Recentemente, uma Proposta de Emenda a Constituição (PEC) nº 53/2016 apresentada pela Senadora Rose de Freitas (Golpista) (PMDB-ES) almeja incluir como atividade essencial a educação e com esta manobra, a legislação aplicada ao direito de greve dos professores seria outra, o que limitaria a categoria no momento de realizar uma paralisação.

    De acordo com um levantamento realizado em 2016 pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) mais de metade dos estados brasileiros não cumpre com o pagamento do valor estipulado na Lei do Piso dos Professores (Lei 11.738/08) que regulamenta  o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica, que deve ser atualizado, anualmente sempre no mês de janeiro. Atualmente o piso salarial foi reajustado de R$ 2.135,64  para R$ 2.298,80 em 2017, relativo a 40 horas semanais.

     

    LEIA MAIS SOBRE A PEC 53/2016 que inclui a educação como serviço essencial: https://goo.gl/KsOtr2

     

    PESQUISA PARA PROFESSORES, RESPONDA “Você recebe adequadamente o piso salarial previsto na legislação?”: https://goo.gl/forms/444aJo68k9zAq1Qt2

     

    Confira a íntegra da nota da CNTE:  http://www.cnte.org.br/index.php/cnte-informa/1701-cnte-informa-778-23-de-janeiro-de-2017/17670-educacao-publica-em-greve-a-partir-de-marco.html

    ...

    Redação