Redação

Combate ao Racismo

Pesquisar

Pesquisar

  • 30

    MAI

    2015

    O Portal do Educador apóia os professores em greve

    por Redação em 30/05/2015

    O Portal do Educador apoia a todos os professores em greve nos diferentes Estados do Brasil. Estamos na mesma luta por um país que trate de cuidar melhor de suas Crianças. Não estamos prejudicando os estudantes sem aula, estaríam sim muito mais prejudicados se até mesmo so professores desistissem de lutar para promover uma educação pública de melhor qualidade. 

    Nós aqui queremos um país onde os professores recebam um salário digno da função social que realizam e com melhores condições de trabalho.

    Queremos uma educação pública viva e para vida, democrática e para democracia, libertária e libertadora, integral e para autonomia.

    Uma educação que não transforme as dificuldades das Crianças em patologias e não ofereça drogas no lugar de afeto. Uma educação que não classifique as Crianças de acordo com notas, sejam elas números ou letras.

     Uma educação que não avalie as Crianças através de testes físicos e mentais que acreditam provar seus limites e suas possibilidades.

    Uma educação que não separe a atividade profissional da realização pessoal, de forma que o trabalho não seja uma tortura, mas uma atividade significativa.

    Uma educação que não mantenha as Crianças aprisionadas em instituições, sejam elas Fundações ou Escolas.

    Uma educação que motive e não puna a colaboração e a solidariedade. 

    Uma educação para o pensar e não para o obedecer.

    Uma educação laica, que respeite a diferença de credo, origem, gênero, cor e sexualidade.

    Uma educação que enxergue a Criança não como pessoas-a-ser, não pessoas de amanhã, mas pessoas de agora, agora mesmo, hoje, como aprendemos com Janusz Korczak.

    Uma educação que enxergue os aspectos cognitivos, emocionais e sociais completamente integrados.

    Uma educação que seja dirigida pelo desejo, pelo interesse, pelo sonhar e guiada pela consciência em harmonia com o coração.

    Uma educação que respeite o tempo de cada Criança sem uniformiza-las, nem mesmo em suas vestimentas e materiais.

    Uma educação construída com afeto entre educadores e educandos, com vínculos construídos de modo saudável, para que possamos estabelecer ambientes pacíficos e respeitosos, onde os conflitos inerentes possam ser solucionados não pela vigilância, mas pela confiança, não pela punição, pelo castigo, pela coerção, pela violência, mas pelo diálogo mediado pelo amor.

    Uma educação onde possamos aprender a conviver de forma solidaria e colaborativa.

    Uma educação que promova espaços que ao mesmo tempo protegem e potencializam as Crianças em todos os aspectos possíveis, apresentando as possibilidades no campo da ciência, das artes, dos esportes, da filosofia, da metafísica e com muito tempo livre para brincar.

    Uma educação que favoreça o autoconhecimento para que a Criança se desenvolva em contato consigo mesma, aprendendo gradativamente a tomar decisões e consequentemente a se responsabilizar pelas consequências de suas escolhas.

    Uma educação que seja construída pela comunidade e não para comunidade, que faça dos espaços públicos territórios educativos em comunidades de aprendizagem, onde a rua é espaço da cultura e não do medo.

    Uma educação que compreenda o conhecimento de forma transdisciplinar, complexa, integrada, conexa, sistêmica, construído a partir da experiência sem divisões de matérias e sem separação entre teoria e prática.

    Uma educação que promova a democratização do espaço físico e virtual, entendendo que o espaço virtual também precisa ser público.

    Por uma educação que produza asas e não gaiolas, a pedido de Rubem Alves.

     

    Foto: Osvaldo de Souza Oz - mundodeoz.wordpress.com

    Também apoiamos o II Manifesto Nacional pela Educação com link abaixo:

    http://romanticos-conspiradores.ning.com/profiles/blogs/iii-manifesto-pela-educa-o-brasileira-mudar-a-escola-melhorar-a

     

    ...

    Redação