Redação

Combate ao Racismo

Pesquisar

Pesquisar

  • 26

    JAN

    2017

    Tecnologia na educação: solução ou problema?

    por Davi Raimondi em 26/01/2017

    A tecnologia tem evoluído muito rapidamente ou os educadores não conseguem mais conciliar recursos disponíveis com o processo de ensino-aprendizagem?

    As evoluções tecnológicas transformaram radicalmente nossa forma de comunicação na sociedade. Graças à internet e às tecnologias digitais, acessamos uma quantidade extraordinária de informações de forma imediata, entretanto, a velocidade das notícias flui mais rápido do que nossa capacidade de absorvê-las. Cada era tecnológica tem a capacidade de transformar nossos comportamentos, cabendo a nós nos adequarmos à nova realidade vivenciada pelo uso intenso das tecnologias. No processo de ensino-aprendizagem não é diferente, é necessário adaptação. No entanto, alguns profissionais de educação parecem não estar caminhando no mesmo ritmo que a tecnologia.

    Você provavelmente já se deparou com alguma aula ou palestra com slides e falatórios intermináveis, e no final bateu aquela sensação de perda de tempo e você percebeu que passou mais tempo no seu smartphone do que imerso no conteúdo. Infelizmente, isso é mais frequente do que parece. A verdade é que a aprendizagem é mediada pelas tecnologias disponíveis. Tanto a tecnologia quanto a aprendizagem visam simplificar o cotidiano das pessoas, no entanto, a tecnologia tem evoluído rapidamente, enquanto as práticas pedagógicas permanecem engessadas no século passado.

    Neste artigo, elucidamos três grandes falhas na relação aprendizagem e tecnologia:

    1) Consumo excessivo de informações

    Observe a quantidade de sites e o tempo gasto com as redes sociais diariamente. De quantas notícias, imagens e vídeos você é capaz de se lembrar no fim do dia? Na sala de aula, muitos professores sobrecarregam seus alunos com uma carga enorme de conteúdos descontextualizados que não serão absorvidos pelo aluno. Por outro lado, o aluno que não se vê imerso no conteúdo recorre ao smartphone, por exemplo, recebendo uma nova carga de informações excessivas. Isso tudo gera um estresse cognitivo, resultando em umaexaustão mental.

    2) Falta de capacitação dos professores no uso das tecnologias

    Embora a tecnologia seja uma importante aliada da educação, muitas vezes os educadores não a usam adequadamente em suas aulas.Surpreendentemente, mais de 90% das escolas públicas do Ensino Médio no Brasil possuem acesso à internet e laboratórios de informática, sendo que mais de 95% dos alunos matriculados têm acesso a esses recursos, de acordo com dados do Censo Escolar. Com isso, podemos notar que a infraestrutura com recursos tecnológicos existe, mas esses recursos não são usados em sua plenitude em vista da diversidade de atividades que podem oferecer.

    3) Diversidade de gerações

    O que funcionava tempos atrás não necessariamente funciona atualmentequando falamos de ensino e aprendizagem. Hoje, vemos diferentes gerações compartilhando o mesmo ambiente e até os mesmos recursos tecnológicos. No entanto, em sala de aula, muitos professores insistem empráticas pedagógicas tradicionais que dificultam o engajamento de jovens. Podemos citar o uso de smartphones na escola: embora seja uma questão complexa, o uso do smartphone pode ser um aliado do professor para envolver os alunos entediados. É necessário entender que os jovens de hoje não se sentem engajados por um ensino tradicional, por uma questão cultural: eles fazem parte da geração de nativos digitais, nasceram e vivem com o uso intenso de tecnologias computacionais.

    Assim, utilizar adequadamente a tecnologia é um novo desafio e exigência na educação. Confira a seguir algumasdicas para reverteresse cenário:

     

    Nesse artigo vimos que o mau uso de recursos tecnológicos compromete o ensino e a própria credibilidade das tecnologias na educação. Para contornar esse cenário, recomenda-se aos alunos e educadores o uso planejado da internet e das informações, afim de melhorar o foco e o raciocínio, potencializando o processo de ensino-aprendizagem.Cabe também ao professor a busca por capacitação e atualização diante da evolução das tecnologias em educação, além da flexibilidade para tornar a tecnologia uma aliada passível de aperfeiçoar as práticas pedagógicas.

     

    Davi Raimondi

    Graduado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela Universidade Cidade de São Paulo e Pós Graduado em Design Instrucional pelo SENAC. Forte experiência em educação voltada para o terceiro setor, lecionando aulas de Tecnologia da Informação, Redes de Computadores – Certificação Cisco Systems, Administração e Gestão Empresarial, além de Office e Sistemas Operacionais. Atualmente trabalha como Designer Educacional no IOS, Instituto da Oportunidade Social, desenvolvendo cursos e materiais nos projetos pedagógicos presenciais, semipresenciais e EAD.

    Referências:

    Rede Globo: http://glo.bo/1gdC41s

    Nova Escola: https://goo.gl/BrPDov

    Artigo VaniKensi: https://goo.gl/Es1UoP

    Livro Flora Alves: Gamification - Como criar experiências de aprendizagem engajadoras. Um guia completo.

    ...

    Davi Raimondi